[Resenha] Onde não existir reciprocidade, não se demore

'Onde não existir reciprocidade, não se demore' é um livro nacional de crônicas sobre o amor. O amor ao outro e o amor a si próprio, que o autor nos mostra que é muito importante. Será que conseguimos amar ao outro sem amar a nós mesmos antes?

Ficha técnica
Autor: Iandê Albuquerque
Editora: Outro Planeta
Ano: 2018
Páginas: 238
Entre as crônicas que nos são apresentadas, muitos trechos foram marcados por mim. As crônicas trazem os problemas do coração e sabemos que todos nós já nos apaixonamos e desapaixonamos, certo? 

As questões de sentimentos são complexas (ou a gente as torna complexas) e nestas crônicas cotidianas sobre o tema, o autor traz frases que realmente nos tocam ou nos traz lembranças de algo que vivenciamos, vamos viver um dia ou vimos alguém próximo viver. Pode-se dizer que o livro é meio "bad", gente. Alerta pra quem for ler e estiver na fossa haha Mas em meio à bad, há frases e trechos bem motivadores também.
Essa é a vantagem dos finais, a gente sempre consegue superar o que um dia a gente acreditou que não conseguiria suportar. Às vezes, o fim precisa acontecer para que a gente possa aprender a recomeçar. E eu recomecei.
Uma leitura que passa em um piscar de olhos já que as crônicas são curtas e de fácil compreensão. Apesar de passar de forma rápida, precisei intercalar a leitura com outro livro, porque as crônicas todas tem uma temática muito parecida e isso acaba cansando em alguns momentos por parecer que lemos a "mesma coisa", sabe? Muito repetitivo. Mas esse é o único ponto negativo do livro que no geral me agradou bastante. 


Aprendi que a gente não deve depositar tantas expectativas no outro a ponto de torná-lo alguém mais importante na nossa vida do nós mesmos.
Acredito que para as pessoas mais "românticas" ele seja um livro mais tocante sentimentalmente do que foi pra mim e, assim, deixando a leitura melhor. Quando eu penso na leitura desse livro, eu associo a leitura de ônibus ou de fila de banco, já que as crônicas são algo que se lê rapidamente. 

Recomendo o livro aos amantes de crônicas e aos que não são, mas querem começar de algum lugar e sobretudo com um autor nacional. 
A gente precisa deixar algumas coisas irem embora pra abrir caminhos pras coisas melhores.

NOTA: 3,5/5 🌟



Tecnologia do Blogger.