Conhecendo Sidney Sheldon



 Hoje venho lhes falar um pouco sobre um dos autores que mais admiro. Sidney Sheldon foi o autor que me fez realmente amar a literatura. Por ele hoje me tornei essa leitora compulsiva e certamente me sinto muito agradecida por isso. 
 O primeiro livro que li desse maravilhoso autor foi Nada dura para sempre, e quando comecei a ler, só pude parar depois de terminar (isso é muito verdade, passei de uma manhã até a madrugada). O livro como todos os livros dele, te envolvem de uma maneira que é impossível querer desgrudar o olho. Depois de Nada dura para sempre, eu só queria ler Sheldon na minha vida.







 Sidney Schechtel (Chicago, 11 de fevereiro de 1917 — Rancho Mirage, 30 de janeiro de 2007), mais conhecido como Sidney Sheldon, foi um escritor e roteirista norte-americano. Durante sua vida, Sheldon publicou dezoito romances; todos alcançaram a lista de mais vendidos do jornal The New York Times. Eles totalizaram mais de 300 milhões de cópias vendidas, com traduções para 51 idiomas, distribuídos em cerca de 180 países; por esse fato, ele é considerado "o escritor mais traduzido do mundo" pelo Guinnes. O escritor também é creditado por 250 roteiros televisivos, seis peças para a Broadway e 25 filmes.
 A estreia de Sidney como escritor de romances ocorreu em 1970, quando publicou seu livro A outra face. Ele decidiu lançar o suspense como livro por que achou que era muito "psicologicamente variado" para cinema, TV ou palco; a história de um psicólogo que é acusado de assassinato foi vendida para a editora Morrow por mil dólares. A Outra Face foi nomeado "Melhor Livro de Estreia" nos Edgar Allan Poe Award de 1971.   [Fonte Wikipédia]



“Odeio aquele clichê da ‘loira burra’, que diz que se a mulher é bonita, deve ser pouco inteligente. Por isso escrevo livros em que a personagem é, além de bela, boa em tudo o que faz. Minha mãe era uma mulher assim. Minha primeira esposa, Jorja, que morreu, era assim, tanto quanto minha esposa Alexandra.”

[Sheldon em 2003, em entrevista para o jornal A Tribuna]
 Outra coisa que acho maravilhoso nos livros de Sheldon é que a mulher tem sempre papéis importantes. Ele sempre exalta as mulheres. Personagens em papéis de liderança, de poder. Ele mostra que apesar da mulher ter as sua fragilidades, sua feminilidade, mesmo assim ela pode sim ter poder e posições de destaque. 
 Cada livro que li dele, foi uma surpresa diferente e ainda tenho alguns por ler. Pretendo logo, terminar todos os seus livros e provavelmente começar a reler um por um. Amo cada história dele, mas obviamente eu tenho os meus queridinhos dos quais vou deixar a sinopse aqui pra vocês que possam ter interesse de conhecer.

Conte-me seus sonhos: Ashley, Toni e Alete têm duas coisas em comum: São bonitas e suspeitas de cometer uma série de assassinatos brutais. A polícia efetua a prisão, que leva a um dos julgamentos mais inusitados já vistos, com a defesa baseando-se em provas médicas bizarras, porém autênticas. De Londres a Roma, de Quebec a São Francisco, a trama de Conte-me seus sonhos é magnética desde o começo até o final surpreendente.

Nada dura para sempre: Três amigas com personalidades bastante diferentes, mas unidas pela correria, pelos contratempos e pelas fortes emoções de trabalhar no Hospital Público Embarcadero. Elas dividem os problemas típicos da profissão; contudo, parece que o destino reservou a cada uma delas um novo desafio. 
Paige é feliz seguindo a mesma carreira do pai e planeja se casar com seu primeiro amor, mas seu sonho pode ir por água abaixo. Honey abusa de suas habilidades de sedução. Mas será que isso é o suficiente para salvar vidas? Kate, abusada pelo padrasto na adolescência, prometeu que jamais seria tocada por um homem. Porém, sua postura durona acaba despertando interesses masculinos. Amor, medo e ambição se combinam em uma trama repleta de reviravoltas.


Quem tem medo do escuro?: Em Nova York, Denver, Paris e Berlim, quatro pessoas morrem em circunstâncias diferentes. Há apenas uma ligação entre elas: todas trabalhavam para uma importante organização de pesquisa de alta tecnologia, envolvida em estratégia militar, telecomunicações e questões ambientais, o KIG. Logo se descobre que as mortes não foram acidentais e Diane e Kelly, esposas de duas das vítimas, passam a ser alvo de sucessivas tentativas de assassinato. Armadas apenas de perspicácia, elas se tornam aliadas em um jogo mortal, no qual apostam as próprias vidas para descobrir a verdade e desvendar segredos aterrorizantes que o KIG há muito oculta. Elas precisam correr contra o tempo, antes que seja tarde demais.

 Ok. ok... Vou deixar só de 3, pois sou capaz de encher isso daqui (amo mesmo). Espero que quem não conheça a escrita dele que resolva dar a chance e se apaixonar junto comigo. Pra quem já é apaixonado assim como eu, junte-se à mim e vamos aumentar esse amor. 

  Beijinhos da Beta 😘


Tecnologia do Blogger.