Resenha - Dândis de Selma


Sinopse: De maneira bem-humorada, o livro narra as desventuras de Selma, que odeia futebol, mas tornou-se treinadora do Dândis FC, o pior time do campeonato amador. No caminho, cruza com o ex-namorado raivoso, com o diretor que pretende derrubá-la do cargo, com a assistente social que tem uma queda por si e com o adolescente envolvido com o crime e que quer um lugar na equipe. Por conta disso, Selma ainda é perseguida pelo delegado. Confusão à vista! Disponível na Amazon, nos sites das Livrarias Cultura e da Travessa, entre outras!

Ficha técnica:
Autor: Nicolás Irurzun
Ano: 2017
Páginas: 172
Editora: Giostri

Minha opinião: Primeiro quero dizer pra vocês que fico muito feliz de poder ter lido mais um nacional e que tem uma história tão boa. Assim que o autor me procurou para o ler e resenhar, enfim, e li a sinopse da história, não passava que haveriam temas tão fortes contidos nele. 

 Selma luta contra a crise e está na batalha, atrás de um emprego na sua área. Capaz até de procurar um ex-colega de faculdade do qual nem mesmo tinha simpatia na época, mas como ele possui um time de futebol amador, ela muda de cidade pela oportunidade que Norberto, o ex-colega lhe dá. Ela almejava a vaga de preparadora física, mas "Norbe" a queria como treinadora e ela acaba aceitando o desafio. 

 Mas a cidade é Peroba, uma cidade pequena e seus moradores não aceitam bem uma mulher a frente de seu time e Selma tem pela frente a luta contra o grande machismo no meio futebolístico. Selma não se deixa abater e olha que ela escuta poucas e boas, no exercício do seu trabalho. 

 Além de trazer o tema do machismo, tão presente no nosso cotidiano, o autor ainda traz em paralelo a história dramática de Pitanga, um jovem que já foi detido muitas vezes por furto e é aconselhado por um projeto que visa ajudar jovens que estão em um caminho, muitas vezes sem volta. 

 Selma acredita poder ajudar Pitanga, lhe dando uma vaga no seu time derrocado, mas será que é possível? Mas não só nesses dois temas que o autor toca, também colocando em seu livro o homossexualismo, mesmo que em um segundo plano. 

 O único ponto negativo que eu achei, foi que algumas histórias ficaram sem um final, pelo menos ao meu ver, e por isso conto muito com uma continuação. Será que rola, Nicolás? Eu acho que devia. Nos conte mais sobre Tobias, Drica, Norbe... Quero saber o que aconteceu com o futuro de Dândis. Se escrever uma sequência não estava na sua mente, eu sugiro que pense no caso dos seus leitores. 

 Fora isso, aconselho muito a leitura. Apreciem esses nacionais tão bonitos que temos <3

"Na rua, em súbita inspiração filosofal, Selma entende haver razões que a própria razão desconhece. Esta razão, entretanto, é bem conhecida e atende pelo nome de ‘perrengue’."