Uma trilogia encantadora

 Vocês conhecem a trilogia A seleção? Não? Então, precisam conhecer. 

 Essa trilogia é um encanto e eu super recomendo a leitura. Uma leitura fácil, que te prende e é impossível ler um e não querer ler o restante. Na verdade, já não é mais uma trilogia, porque foram lançados mais livros dando sequencia, mas na minha opinião, eles não eram necessários e eu acabei nem me interessando em ler, portanto não posso falar deles pra vocês. 

  
   No primeiro volume, A seleção, conhecemos o mundo do futuro, no país de Iléa, que tem um rígido regime político.
 As pessoas são divididas em castas e quem governa é o rei. As castas são divididas por aquilo que as pessoas fazem. Aqui conhecemos a vida de America Singer, uma jovem que pertence a casta Cinco, dos artistas.

 Uma casta não pode ter envolvimento amoroso com outra, mas America tem uma paixão secreta por Aspen, que está uma casta abaixo dela.

 Acontece, que as jovens são inscritas para participar da seleção para a escolhida do príncipe Maxon para o casamento. America de jeito nenhum quer ser uma das 35 finalistas, mas é.

Ela vai junto com as outras moças para o castelo, afinal, pelo menos lá, nesse período, ela vai poder ter luxos e comer coisas que na sua casta ela não tem como. Ela só quer isso e voltar logo para sua casa. Mas America conhece o príncipe e decididamente, ele não é o monstro que ela tinha em mente. Maxon é bondoso, gentil e os sentimentos de America acabam ficando confusos. E agora, o que fará America?



 No segundo livro, restam apenas 6 garotas, disputando o coração de Maxon.

 Aspen, acaba aparecendo no castelo como guarda e agora os sentimentos da moça entram em maior conflito. Ela sente que Maxon sente algo por ela e os momentos que passa com ele, são como conto de fadas, mas sempre que vê Aspen pelos corredores, não sabe mais o que sente.

 Neste ponto do livro, já obviamente temos aquele que preferimos como par para a America, mas com quem será que ela vai decidir ficar.

 Ela precisa tomar uma decisão, pois as outras 5 garotas tem certeza daquilo que querem e a concorrência é acirrada. Elas querem o príncipe a qualquer custo e isso é uma guerra, definitivamente.




 No terceiro livro, como já diz o nome, uma escolha precisa ser feita.

 America, a candidata menos provável, perde espaço para outra concorrente e se verdadeiramente quiser o amor do príncipe vai ter que correr atrás do prejuízo.

 Conflitos com outros países estão surgindo e em meio a tudo isso, uma princesa precisa ser escolhida. Mas America também precisa fazer as suas próprias escolhas.

 America vai seguir com seu amor de infância ou vai escolher por aquele que aos poucos foi mostrando que é uma boa escolha? Escolher pelo que sempre se teve sentimentos ou pelo que despertou novos sentimentos?

 Não irei lhes contar, obviamente. O escolhido por America, foi o escolhido por mim e eu fiquei bem feliz por isso.

 Eu amo essa trilogia e nutro um carinho imenso pelos personagens. Alguns são tão terríveis, mas outros compensam toda a maldade que vemos. America é uma protagonista cheia de garra, de força, que não se deixa abater por nada. Sua "rebeldia" é admirável e sua fidelidade aos amigos e a quem gosta, é sua grande força.



Por Roberta Muniz