[Resenha] Órfã, monstra, espiã

Uma menina judia, 15 anos, acaba órfã quando a Segunda Guerra Mundial está prestes a estourar. Sozinha no mundo e sendo hostilizada pelos nazistas se descoberta, Sarah não sabe o que fará e nem se pode confiar em alguém.

Ficha técnica
Autor: Matt Killeen
Editora: Outro Planeta
Ano: 2018
Páginas: 304
Quando estava fugindo com a mãe para um outro país, um acidente ocorreu e Sarah se viu órfã. Caminhando sem saber aonde ir, ela encontra um local com água para beber, mas um homem aparece. Quando ela pensa que será seu fim, ela a deixa ir embora e ainda dá a dica de como fazer isso. 

Ela consegue embarcar numa balsa, mas por destino ou seja lá o que for, novamente encontra o homem que a ajudou anteriormente e sem muito pensar, vai de encontro a ele e os dois escapam contando algumas mentirinhas. 

— Fique acordada — disse ele sem abrir os olhos. — Eles não conseguem pegá-la se você ficar acordada.— Quem não consegue?— Os seus demônios.

Sarah agora está limpa, sem fome e "segura" na casa desse estranho, ao qual conhece por Capitão Floyd. Ele é misterioso e, a garota descobre, um espião. Esse homem consegue documentos que escondem o nome judeu de Sarah e a transforma em Ursula. Sem ter nenhum outro lugar para ir e mais ninguém, a garota se mostra disponível para ajudar essa capitão, se tornando também uma infiltrada. 

Sarah encarnada no papel de sobrinha do capitão com o nome de Ursula se torna nova aluna de uma escola para garotas que estão sendo "educadas" pelo Reich do Führer. Lá, ela tem uma missão: se aproximar de uma garota que pode levá-la a descobrir um grande segredo. 

Seu desejo pela palavra escrita  era insaciável. Quando perdeu tudo, ainda havia alguns livros preciosos que permitiam que escapasse.

A missão não será tão fácil assim de cumprir. As garotas nesta escola são barra pesada de se encarar e acompanhamos os perrengues que Sarah precisa enfrentar para viver neste lugar e o que ela vai precisar sofrer para cumprir o que veio fazer. 

Preciso ressaltar o quanto amo personagens femininos fortes e essa menina é de uma força, de uma garra que me encheram de orgulho, sabe? Uma menina cheia de força e que mesmo nos momentos de fraqueza consegue se reerguer e enfrentar o que vem pela frente. 

Tanto a menina quanto o Capitão Floyd são personagens que adorei e que tem uma sintonia agradável demais. A narrativa do livro é muito boa e da metade pro final, confesso que era difícil querer largar o livro. 

Sarah sabia que não devia julgar pelas aparências. Jovem e velho, alto e baixo, feio e bonito, atlético e aleijado – ela sabia que todos eram igualmente capazes de serem bons ou, na sua experiência, igualmente capazes de serem perversos e horríveis.

Como todo livro que mostra essa época terrível da história mundial, vemos horrores e pessoas cruéis, mas essa trama é surpreendente por mostrar a força de uma menina que aceitou um trabalho em meio ao sofrimento. 

Um enredo ótimo, com dramas, mistérios, espionagem, mas com uma carga emocional e sentimental muito densa que aprofunda sentimentos em suas entrelinhas e que nos deixa querendo mais. 

NOTA: 4,8/5 🌟


Tecnologia do Blogger.