[Resenha] Esposa perfeita

Uma obra inacabada e sem funcionamento. Um corpo. Muito sangue. Assim se inicia Esposa perfeita. O policial Will Trent está na cena do crime quando recebe a notícia de que todo aquele sangue pertence a esposa e objetos da mesma foram encontrados na cena do crime. 

Entretanto, a relação de ambos é conturbada e ele não a via há muito tempo. Mas, e agora? 

Ficha técnica
Autora: Karin Slaughter
Editora: Harper Collins 
Ano: 2017
Páginas: 464
Will teve um passado conturbado e no orfanato onde passou uma parte da sua vida conheceu Angie, sua esposa. Will e Angie se tornaram policias e acabaram se casando, mas Angie é uma mulher instável e indomável e por isso seu trabalho na polícia não deu muito certo. Angie some e aparece quando tem vontade e o sentimento de Will por ela é algo que nem o próprio tem como explicar.

Agora que uma cena de crime foi deixada e tem grandes chances de que sua mulher esteja envolvida, ferida ou até mesmo morta, Will Trent se empenha ao máximo junto com seus colegas de trabalho para descobrir tudo que há por trás desse mistério. 

Angie era um animal selvagem. Não demonstrava fraqueza. Ela se escondia para lamber suas feridas sozinha.
Uma trama eletrizante em uma busca implacável. Há muitos nós nessa história e cada personagem tem o seu propósito ali. Mas o que eles não sabem é que há muitos segredos envolvidos e muitas pessoas também são parte de todo esse enredo. 

Para quem gosta de suspense, esse é uma excelente pedida. Os personagens não me cativaram tanto quanto eu gostaria e por isso a leitura não chegou a ser maravilhosa pra mim, mas não deixa de ter o seu brilho por isso. 

Uma coisa me incomodou nesse livro que é parece que todo mundo tem parentesco, e isso achei que não havia necessidade de tantas ligações em uma só trama, mas enfim... No todo é um bom suspense e já quero ler as futuras continuações. 

Pensei que podia curar a dor que havia dentro dele. Levou um bom tempo para eu perceber que a dor estava dentro de mim.
Karin Slaughter tem conquistado cada vez mais fãs e suas obras são mesmo ótimas. Apesar de terem capítulos mais extensos, a escrita da autora traz uma boa fluidez a leitura e isso é um ponto positivo enorme em qualquer obra que leio. E o mistério e os desdobramentos dele, são algo que não esperamos. Angie é uma personagem que se pode esperar qualquer coisa e ela com certeza dá ao livro um algo a mais. 

As pessoas acreditavam nela agora, ou pelo menos mais pessoas acreditavam do que duvidavam. Uma mulher acusando um homem de estupro era uma puta louca. Duas mulheres, três mulheres, dezenas de mulheres poderiam estar certas.