Resenha - A hora do lobisomem

A hora do lobisomem, Stephen King 
Suma de Letras, 2017



#Sinopse: O primeiro grito veio de um trabalhador da ferrovia isolado pela neve, enquanto as presas do monstro dilaceravam sua garganta. No mês seguinte, um grito de êxtase e agonia vem de uma mulher atacada no próprio quarto.

 Agora, a cada vez que a lua cheia brilha sobre a cidade de Tarker’s Mill, surgem novas cenas de terror inimaginável. 

 Quem será o próximo?

 Quando a lua cresce no céu, um terror paralisante toma os moradores da cidade. Uivos quase humanos ecoam no vento. E por todo lado as pegadas de um monstro cuja fome nunca é saciada.

"- Meu amor - sussurra ela, e fecha os olhos.
O lobo cai sobre ela.
O amor é como morrer."

#Opinião: Na pequena cidade de Tarker's Mills, assassinatos estranhos passam a acontecer. Corpos dilacerados são encontrados sempre após uma noite de lua cheia. 

 Os moradores começam a ficar assustados e os boatos de um possível lobisomem começam a aparecer. Obviamente que nem todos os moradores acreditam nessas histórias, os mais céticos pensam que é simplesmente um serial killer que está fazendo suas vítimas na cidade. 

 Os capítulos são divididos pelos meses do ano, ataques aleatórios aos moradores. Em julho, o capítulo nos traz o personagem Marty, um garotinho que nasceu com problemas físicos, que o faz permanecer sempre em uma cadeira de rodas. Marty é um personagem que nos cativa e fica muito decepcionado porque os ataques noturnos, fizeram com que os fogos de artifício do dia 4 de julho, fossem cancelados. O menino passa o ano todo esperando por esse momento, um dos poucos que o faz esquecer da sua condição física limitada. O tio de Marty, vendo a tristeza de seu sobrinho, lhe dá alguns fogos e bombinhas para que quando a família for dormir, o garoto possa ter os seus fogos. 

 Nessa noite de 4 de julho, o lobisomem avista aquele menino na sua cadeira de rodas e claro, avança. Por sorte, os rojões dados pelo tio, salvam sua vida. O lobisomem, seja quem for, agora está cego de um olho. A polícia, claro, não acredita de todo no depoimento de uma criança. Por segurança, Marty é mandado para passar um tempo fora da cidade. 

 Mais ataques acontecem, não só com pessoas, mas com animais também e no Halloween, quando o garoto já de volta à cidade e na sua tradicional ida com o pai, pedir os seus doces, o garoto fica de cara com o lobisomem, mas este nem desconfia de que o garoto saiba. 

 A partir daí, acompanhamos e torcemos pelo menino. Para que essa tal pessoa, não descubra sua identidade, nem queira se livrar dele. Mais ataques seguem acontecendo e até um grupo de homens da cidade saí "a caça" de o que quer que esteja ameaçando a segurança dos moradores. 

 Os capítulos desse livro são bem curtos e de fácil leitura. Um bom livro para ser lido em poucas horas, porque apesar da simplicidade de sua trama, Stephen King, consegue prender o seu leitor. Para quem não tem o hábito do gênero terror, talvez esse seja um ótimo livro para se começar. 

 Essa é a edição lançada em 2017, mas a primeira versão desse livro é de 1983. Não é uma das obras mais aclamadas do mestre do horror, mas é uma leitura muito boa. 

Tecnologia do Blogger.